Local

A Torre Malakoff foi construída entre 1853 a 1855 e inaugurada como o Portão Monumental e Observatório Astronômico do antigo Arsenal da Marinha. O nome “Malakoff” deu-se em comparação à torre Malakoff de Sebastopol, sul da Rússia, que resistiu ao assédio de tropas francesas e inglesas durante onze meses. Este conflito, entre a Rússia contra a França, Inglaterra, Turquia e Piamonte, foi travado justamente nos dois últimos anos de construção da obra (1854 e 1855).

Os equipamentos instalados na Torre tinham grande importância para a cidade, como também para a navegação e para o Porto do Recife. O relógio, de fabricação inglesa, trazido pelo brigue inglês “Mary Ann”, tinha um mostrador duplo e marcava a hora oficial da cidade através de três sinos. Ao meio dia, surgia um balão sobre a torre, permitindo que a hora fosse vista a uma grande distância. Com o passar do tempo, os mostradores transparentes do relógio foram substituídos por duas peças em aço.

No observatório astronômico, existiam a luneta meridiana e a pêndula, equipamentos que facilitavam a navegação, dando um ponto certo aos navegadores e eram vistos na época como fator de desenvolvimento do comércio. Além disso, a torre contava com uma cúpula giratória de estrutura metálica, projetada para observação astronômica.

Tombado como monumento histórico pela Fundape em 1992, a Torre hoje é um espaço norteado pelo princípio da diversidade, refletindo diretrizes da política pública de cultura do governo do Estado. A estrutura do prédio é utilizada para abrigar e promover exposições, festivais, oficinas, cursos de formação no campo da produção cultural e as mais diversas iniciativas na área da cultura. Paralelo a essas ações, a Torre está aberta para visitação todos os dias. Recentemente, o observatório, que estava desativado havia 4 anos, foi reaberto.